Home


Força Aérea Brasileira  -  FAB

Meios Disponíveis e Futuros



SUPERCARGUEIROS

O CARGUEIRO MILITAR ESTRATÉGICO



(Clique na foto abaixo para imagem gigante dos C-17)

C-17 - Frota

Impressionante imagem com 18 supercargueiros C-17 Globemasters.
(Foto USAF)

INTRODUÇÃO


No fim de 2008, a FAB teria dado início à análise de viabilidade técnico-operacional e a estudo de mercado para aquisição de um lote de aviões cargueiros superpesados, mais conhecidos como supercargueiros.


Sua capacidade de carga deverá ser superior a 40 ton, ter capacidade de voar carregado sem revo por 4 mil km, e ainda tendo capacidade de pousar em pistas rudimentares.


Tal Cargueiro Militar Estratégico comporá a força de transportadores pesados que, juntamente com o Cargueiro Militar Tático KC-390, deverão ser a futura espinha dorsal dos cargueiros da Força Aérea Brasileira.



(Clique na foto abaixo para ampliação)
    

Um cargueiro militar estratégico C-17 Globemaster de 265
ton de peso máximo de decolagem com carga de 75 ton.
O projeto da Embraer seria um C-17 light.
(Foto U. S. Air Force)




CARGUEIRO MILITAR ESTRATÉGICO


Alguns candidatos são previsíveis
: C-17 Globemaster (muito caro), IL-76 (muito bom), e o antológico ucraniano Antonov ANT-124. O europeu Airbus A-400M, de 37 ton,  parece descartado, pois disputará com o KC-390, de 27 ton. Além disso, ele tem tido uma série de problemas e seu custo operacional cresceu bastante.



(Clique na foto abaixo para ampliação)

C-17 e Abrams

Um C-17 Globemaster recebendo um  MBT
M-1 Abrams do Exército Real Australiano.
(Foto Royal Australian Air Force)



Desses 3 acima, o único que permitiria uma participação externa no desenvolvimento é o C-124. A Ucrânia já sinalizou a necessidade de parceiros para dividir o projeto e relançar duas variantes, uma maior para até 180 toneladas e uma menor para 96 toneladas.


A EADS também já manifestou interesse em realizar uma joint-venture com a Antonov para o desenvolvimento de um supercargueiro militar destinado inicialmente às nações européias baseado no Antonov 124.


A Embraer poderia ser estimulada pelo governo brasileiro a firmar um acordo com a Antonov e a EADS, visando o desenvolvimento de até três novas versões dessa aeronave, uma civil e duas outras militares.


Dessa forma, a Embraer reduziria os custos do programa e ainda obteria lucros sobre as futuras encomendas que viessem a ser feitas tanto pelo setor civil quanto militar, adquirindo de quebra novas tecnologias advindas do projeto.


A proposta poderia ser muito abrangente e poderia levar, por exemplo, ao desenvolvimento de novas asas empregando ao máximo materiais compostos e com isso diminuindo o peso da aeronave. Uma proposta interessante a ser analisada seria a do C-224, de nosso Plano Brasil, criado por Edilson Moura Pinto.



(Clique na arte abaixo para ampliação)


C-224 - Cargueiro Militar Pesado - FAB.
(Arte Edilson Moura Pinto)




A FAB não dispõe hoje de uma aeronave supercargueira, o que limita sua capacidade de ação no exterior. Para desenvolvê-la sozinho, o Brasil teria de fazer altíssimos e inviáveis investimentos.


Os ANT-124 são aviões extremamente confiáveis e que possuem capacidades ímpares, o que os torna aeronaves incomparáveis em muitos quesitos, sendo que um em particular interessaria especificamente ao Brasil.


Estes gigantes são capazes até mesmo de pousar sem restrições em pistas de chão batido (não preparadas), ideais para regiões como o Pantanal e a Amazônia.



(Clique na foto abaixo para ampliação)

ANT-124

Gigantesco Antonov ANT-124 em processo de carregamento.
(Foto NASA)



Os boatos estão se espalhando, mas até agora a FAB ainda não confirmou a intenção sobre uma aeronave supercargueira. A Aircraft Monthly de abril de 2009 publicou uma extensa seção dando conta de que a Fab teria a intenção de adquirir entre 6 e 12 cargueiros pesados e que os favoritos seriam o C-17 e o Il-76.


O artigo diz que isso está previsto na END, a qual prevê a capacidade de mobilidade global às forças armadas brasileiras.  Não se confirma se as "pretendidas" aquisições serão de aeronaves usadas e/ou novas, mas, segundo alguns entendidos, poderiam ser mistas.



VÍDEO - C-17 SHORT FIELD LANDING (00:50 MIN)





VÍDEO - POUSO CURTO DE C-17 (00:24 MIN)





O fato interessante é que a pretensão de se operar esse tipo de aeronave mostra um pouco do que se pretende para as forças armadas brasileiras nos próximos anos. Uma força com capacidade de ação global e ainda que limitada, comparativamente à Rússia e EUA, seria nesse quesito superior, por exemplo, à Europa inteira.


Afirma-se que o Ministério  da Defesa pretende criar um Comando Conjunto de Transporte e Logística Aéreo (CCTLA), nos moldes do Air Mobility Command AmC das Forças Armadas americanas.


Isso tudo foi dito por
Edilson Moura Pinto há 3 anos no artigo ATLAS, em que considerava o ANT-124. Este também é candidato, segundo a revista (mas com poucas chances devido a pendenga entre Rússia e Ucrânia).


Em junho de 2009, a Força Aérea da Índia selecionou o avião de transporte militar Boeing C-17 Globemaster III como o seu novo VHTAC (Very Heavy Lift Transport Aircraft – Avião de Transporte Super-Pesado), para substituir os antigos quadrireatores Ilyushim IL-76.


A criteriosa análise aceitou a capacidade do C-17 de decolar e aterrissar em pistas curtas transportando elevadas cargas, em voar longas distâncias e ser de fácil operação. A Índia pretende adquirir dez aeronaves do modelo através do FMS (Foreingn Military Sales) do governo dos Estados Unidos.


O Problema é que a Boeing já encontarva dificuldades em 2010 para manter sua planta de produção do C-17 em operação, já que as 180 unidades encomendadas pelos EUA já haviam sido entregues e outras encomendas eram raras. Uma saída em estudo seria retirar alguns dos 59 já antigos C-5A e pedir novos Globemasters para substituí-los.



C-17

Frota de 12 supercargueiros C-17 Globemasters em voo.
(Foto USAF)




FONTES & LINKS


Wikipedia - C-17 Globemaster


Blog Defesa BR :

       Supercargueiros Aéreos - Mobilidade Global ao Brasil